Hipnoterapia Ericksoniana

 

 

Foto Milton Hayland EricksonDr. Milton H. Erickson

Milton Hayland Erickson foi um psiquiatra americano que se tornou conhecido por um trabalho inédito, que foi o de associar a hipnose às psicoterapias. Nasceu em Nevada, no dia 15 de dezembro de 1901, e morreu no dia 27 de março de 1980. Como psiquiatra, teve uma boa formação em psicoterapia e, por ter seu lado intuitivo e observador muito desenvolvido, foi se envolvendo, ao longo de sua vida, com a hipnose, a ponto de ser conhecido nos Estados Unidos como “Sr. Hipnose”.

Erickson foi fundador e presidente da American Society of Clinical Hypnosis, além de fundador e editor da revista daquela sociedade, a “American Journal of Clinical Hypnosis”. Tinha uma forma muito peculiar de ensinar, através de seminários didáticos, nos quais seus alunos mais experimentavam sua metodologia do que se prendiam a ela. Criando uma nova abordagem de tratamento, que é a Hipnoterapia Ericksoniana, ele trabalhava em cima do sintoma do paciente, entrando, através de uma hipnose naturalista, na forma em que a pessoa causava o problema a si mesmo. Ao longo de sua carreira, obteve excelentes resultados no tratamento de casos diversos como depressões, fobias, problemas sexuais, doenças psicossomáticas e outros. Nas aulas experimentais que dava, costumava colocar seus alunos em transe e modificava padrões antigos que causava problemas a eles.

Dentre os vários livros que escreveu, destacam-se, entre outros, “Coletânea de Papéis“, publicado em quatro volumes, “O Homem de Fevereiro” e “Hipnose Médica e Odontológica“. Nos Estados Unidos, dentre os seus seguidores mais conhecidos, destacam-se André Weitzenhoffer, Ernest Hillgard, Ernest Rossi, Jay Haley e Jeffrey Kenneth Zeig, sendo que este último foi seu aluno durante seis anos e, neste período, aprendeu e desenvolveu um modelo de psicoterapia baseado nos ensinamentos do mestre.

 


 

Fale Mais Sobre Isso: Hipnose e Hipnoterapia Ericksoniana

O Psicólogo, Palestrante e Orientador Leonardo Abrahão entrevista o Psicólogo Clínico Prof. Dr. Milton Vicente Fernandes. Tema: a Hipnose a e a Hipnoterapia Ericksoniana.

 

Parte 1:

 

Parte 2:

 

Parte 3:

 

 

Abaixo está o texto na íntegra da legislação que autoriza a utilização da Hipnose pelo Conselho Federal de Psicologia:

 

RESOLUÇÃO CFP N.º 013/00     DE      20 DE DEZEMBRO DE 2000

 

Aprova e regulamenta o uso da Hipnose como recurso auxiliar de trabalho do Psicólogo.

O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, que lhe são conferidas pela Lei nº 5.766, de 20 de dezembro de 1971 e;

CONSIDERANDO o valor histórico da utilização da Hipnose como técnica de recurso auxiliar no trabalho do psicólogo e;

CONSIDERANDO as possibilidades técnicas do ponto de vista terapêutico como recurso coadjuvante e;

CONSIDERANDO o avanço da Hipnose, a exemplo da Escola Ericksoniana no campo psicológico, de aplicação prática e de valor científico e;

CONSIDERANDO que a Hipnose é reconhecida na área de saúde, como um recurso técnico capaz de contribuir nas resoluções de problemas físicos e psicológicos e;

CONSIDERANDO ser a Hipnose reconhecida pela Comunidade Científica Internacional e Nacional como campo de formação e prática de psicólogos,

 

Art. 1º – O uso da Hipnose inclui-se como recurso auxiliar de trabalho do psicólogo, quando se fizer necessário, dentro dos padrões éticos, garantidos a segurança e o bem estar da pessoa atendida;

Art. 2º  – O psicólogo poderá recorrer a Hipnose, dentro do seu campo de atuação, desde que possa comprovar capacitação adequada, de acordo com o disposto na alínea “a” do artigo 1º do Código de Ética Profissional do Psicólogo.

Art. 3º -  É vedado ao psicólogo a utilização da Hipnose como instrumento de mera demonstração fútil ou de caráter sensacionalista ou que crie situações constrangedoras às pessoas que estão se submetendo ao processo hipnótico.

Art. 4° – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 5° – Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília (DF), 20 de dezembro de 2000.

ANA MERCÊS BAHIA BOCK  (Conselheira-Presidente)